Senhor, tende piedade de nós! autoria desconhecida

Senhor, tende piedade de nós! 

Senhor, tende piedade de nós!

Pelo jeitinho brejeiro da nossa juíza
Pelo perigo constante quando Lula improvisa
Pelas toneladas de botox da Dona Marisa

Senhor, tende piedade de nós!

Pelo Marcos Valério e o Banco Rural
Pela casa de praia do Sérgio Cabral
Pelo dia em que Lula usará o plural

Senhor, tende piedade de nós!
Pela jogada milionária do Lulinha com a Telemar
Pelo espírito pacato e conciliador do Itamar
Pelo dia em que finalmente Dona Marisa vai falar

Senhor, tende piedade de nós!

Pela "queima de arquivo" do Toninho (de Campinas) e Celso Daniel
Pela compra do dossiê no quarto de hotel
Pelos "hermanos compañeros" Evo, Chaves e Fidel

Senhor, tende piedade de nós!

Pela volta triunfal do "caçador de marajás"
Pelo Duda Mendonça e os paraísos fiscais
Pelo Galvão Bueno que ninguém agüenta mais

Senhor, tende piedade de nós!
 

Pela máfia dos "vampiros" e "sanguessugas"
Pelas malas de dinheiro do Suassuna
Pelo Lula na praia com sua sunga

Senhor, tende piedade de nós!

Pelos "meninos aloprados" envolvidos na lambança
Pelo plenário do Congresso que virou pista de dança
Pelo compadre Okamotto que empresta sem cobrança

Senhor, tende piedade de nós!

Pela família Maluf e suas contas secretas
Pelo dólar na cueca e pela máfia da Loteca
Pela mãe do presidente que nasceu analfabeta

Senhor, tende piedade de nós!

Pela invejável "cultura" da Adriane Galisteu
Pelo "picolé de xuxu" que esquentou e derreteu
Pela infinita bondade do comandante Zé Dirceu

Senhor, tende piedade de nós!

Pela eterna desculpa da "herança maldita"
Pelo "chefe" abusar da birita
Pelo novo penteado da companheira Benedita

Senhor, tende piedade de nós!

Pela refinaria brasileira que hoje é boliviana
Pelo "compañero" Evo Morales que nos deu uma banana
Pela mulher do presidente que virou italiana

Senhor, tende piedade de nós!

Pelo Ali Babá e sua quadrilha
Pelo Gushiken e sua cartilha
Pelo Zé Sarney e sua filha

Senhor, tende piedade de nós! 


Para que possamos ter muita paciência
Para que o povo perca a inocência
E proteste contra essa indecência

 
Senhor, dai-nos a paz!

(Autor desconhecido)

Mensagem recebida de Alzira Miranda...obrigada querida amiga

As greves contra Serra

Editorial de  O Estado de S.Paulo

À medida que se aproxima a data de desincompatibilização do governador José Serra para se candidatar à Presidência da República
, aumentam protestos e ameaças de greve das corporações da máquina pública estadual que são controladas por sindicatos vinculados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e ao PT. Embora com pequena adesão, prossegue a greve do professorado, decretada há duas semanas, e os servidores das áreas de saúde e segurança também estão prometendo parar nos próximos dias. As três categorias representam mais de dois terços do funcionalismo público estadual.
As reivindicações são irrealistas. Os líderes sindicais do magistério estadual querem reajuste de 34% e o fim do Programa de Valorização pelo Mérito, que prevê aumento de 25% para um quinto dos docentes, a cada ano, mediante a realização de prova de capacitação. Os dirigentes sindicais do setor de saúde pleiteiam para a categoria aumento salarial de 40%, reajuste do vale-refeição e jornada de trabalho de 30 horas semanais. E os porta-vozes dos servidores da área de segurança, que já tiveram grande parte de suas reivindicações atendidas em 2008, pretendem deflagrar operação-padrão para mostrar a "estrutura defasada" da Polícia Civil.

As lideranças sindicais das três categorias também exigem planos de cargos e carreiras “ outra pretensão recorrente, que costuma aparecer quando as greves são meramente políticas, para criar dificuldades para dirigentes governamentais que não são filiados ao PT.
O caráter eleitoeiro dos protestos ficou claro quando os líderes do professorado, depois de terem parado por duas sextas-feiras consecutivas o trânsito na região das Avenidas Paulista e Consolação, decidiram fazer um protesto em frente ao Palácio dos Bandeirantes.
Na realidade, trata-se de mais uma provocação. Protestos nas ruas e avenidas em volta da sede do governo estadual são expressamente vedados por lei, que as classifica como "área de segurança". Os líderes sindicais do funcionalismo sabem que, frente a manifestação em local proibido, a Polícia Militar é obrigada a intervir. E é justamente isso que eles querem: aproveitar os incidentes para se apresentar como vítimas da "violência do governador". O "script" é conhecido e foi usado em grande escala nos últimos anos, especialmente durante a greve dos servidores da área de segurança pública, em 2008. Na ocasião, nas imediações do Palácio dos Bandeirantes, policiais civis usaram suas armas para enfrentar policiais militares. O embate resultou em 24 feridos e foi fartamente explorado pelo PT e pequenos partidos de esquerda.

Ao anunciar que as reivindicações dos líderes sindicais das áreas de educação, saúde e segurança não serão atendidas, as autoridades estaduais lembraram que a gestão Serra manteve os gastos com o funcionalismo abaixo dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. E foi esse um dos fatores que permitiram investimentos em obras de grande porte. "Se damos dinheiro para servidores, não sobra para investimento e não se pode fazer Rodoanel e Metrô. É preciso equilíbrio para atender às demandas da sociedade", diz o secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo.

O mais irônico é que vários líderes sindicais dos servidores que tentam tumultuar as solenidades de inauguração dessas obras, para impedir Serra de colher os dividendos de sua gestão, reconhecem que o diálogo com o governo melhorou nos últimos anos. Eles admitem que foram recebidos com mais facilidade e frequência pelas autoridades, apesar de não terem conseguido os aumentos salariais desejados, porque, em matéria de gasto, o governo privilegiou o interesse público, em vez de ceder ao corporativismo.

As manifestações de protesto dos líderes sindicais das áreas da educação, saúde e segurança têm claro objetivo político-eleitoral. A greve já deflagrada pela Apeoesp está deixando evidente que só uma minoria de professores vem cruzando os braços. A maioria teve o bom senso de não se deixar usar como massa de manobra no jogo político. O mesmo se espera dos delegados e do pessoal da saúde

LULLA VOCÊ É O CARA.....


Lula,você é o cara!
por Caio Lucas
Você é o cara que esteve por dois mandatos à frente desta nação e não teve coragem nem competência para implantar reforma alguma neste país,pois as reformas tributárias e trabalhistas nunca saíram do papel, e a educação, a saúde e a segurança estão piores do que nunca.
Você é o cara que mais teve amigo aliados envolvidos da cueca
ao pescoço em corrupção e roubalheira, gastando com cartões
corporativos e dentro de todos os tipos de esquema.

Você é o cara que conseguiu inchar o estado brasileiro com tantos e tantos funcionários e ainda assim fazê-lo funcionar pior do que era.
Você é o cara que mais viajou como presidente deste país, tão futilmente e à nossa custa.
Você é o cara que aceitou todas as ações e humilhações contra o Brasil e os brasileiros diante de Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai e outros.
Você é o cara que, por tudo isso e mais um monte de coisas, transformou este país em um lugar libertino e sem futuro para quem não está no grande esquema.
Você é o cara que transformou o Brasil em abrigo de marginais internacionais se negando, por exemplo, a extraditar um criminoso para um país democrático que o julgou e condenou democraticamente.
Você é o cara que transformou corruptos e bandidos do passado em aliados de primeira linha.
Você é o cara que está transformando o Brasil num país de parasitas e vagabundos, com o bolsa família, com as indenizações imorais da "bolsa terrorismo", com o  repasse sem limite de recursos ao MST,o maior latifúndio improdutivo do mundo e abrigo de uma bando de bandidos e vagabundos que manipulam alguns verdadeiros colonos;
É, Lula !
Você é o cara....
de pau mais descarado que o Brasil já conheceu.

Arnaldo Jabor

Enviada pela Alzira Miranda....obrigada amiga



ARNALDO JABOR   

A anormalidade ficou"normal"


Quando comecei a escrever, jurei que jamais abriria um artigo com a velha técnica: "Estou diante da página branca..., mas falta-me um assunto" ou "a tela vazia do computador brilha pedindo um tema, mas nada me ocorre".

Jamais usei essa desculpa de articulista sem inspiração. E mantenho a promessa. Só que hoje não sou eu que estou sem assunto - é o Brasil. O governo nos surrupiou, entre outras coisas, o "assunto". Lula repete o "espetáculo permanente" inventado por Jânio Quadros. E seus atos e fatos pautam o país.

É uma forma sutil de controlar a imprensa, obrigando-a a discutir ou refutar "factoides" que nos lançam o tempo todo. Somos obrigados a discutir falsas verdades e denúncias vazias, em meio ao delírio narcisista de que o Brasil é Lula, de que existimos para celebrá-lo ou odiá-lo.
Esse primitivismo paralisa os acontecimentos nacionais. Ou pior, parece acontecer muita coisa no país, mas nada de real está se concretizando, além do óbvio previsto: estouro das contas públicas, obras de pacotilha, empreguismo, ideologismo ridículo e terceiro-mundista. Os escândalos "parecem" acontecimentos.

O PT encobre falcatruas em nome do poder, que eles chamam de "ideal socialista" ou algo assim. Tudo que acontece se coagula, coalha como uma pasta, uma "geleca", um brejo de não-acontecimentos onde tudo boia sem rumo. Ou então são eventos disparatados: um dia Lula está com o Collor; no outro, com o Hamas.
Uma visão crítica e racional sobre o Brasil ficou inútil. A maior realização desse governo foi a desmontagem da razão. Podemos decifrar, analisar, comprovar crimes ou roubos, mas nada acontece. Fica tudo boiando como rolhas na água.

A sinistra política de alianças que topa tudo pelo poder planeja com descaso transformar-se numa espécie do PRI mexicano. Desmoralizaram o escândalo, as indignações, a ética (essa palavra burguesa e antiga para eles)...

Esses pelegos usurparam os melhores conceitos de uma verdadeira esquerda que pensa o Brasil dentro do mundo atual, uma esquerda que se reformou pelas crises do tempo, antes e depois da queda do muro de Berlim.

Eles se obstinam em usurpar o melhor pensamento de uma genuína "esquerda" contemporânea, em nome de uma "verdade" deformada que instituíram.

Sinto-me um idiota (mais do que já sou, ai de mim...) e parece que ouço as gargalhadas barbudas de velhos sindicalistas como Vaccari, Vaccareza, Vanucci: "Ahh, pode criticar... Estamos blindados, tanto quanto os companheiros Sarney ou Renan...".

As velhas categorias para explicar o Brasil morreram. Já há uma pós-corrupção, uma pós-direita (disfarçada de "esquerda").
Somos uma sopa onde flutuam as eternas colunas sociais, com os sorrisos e as bundas nuas, as velhas madames e as novas peruas, os crimes, as balas perdidas, as revoltas nas prisões.

Já vivi épocas de cores mais vivas. O pré-64 era vermelho, não só pelas bandeiras do socialismo, mas pelo sangue vivo que nos animava a construir um país, romanticamente. Era ilusão? Era. Mas tinha gosto de vida. A minha esquerda já foi sincera. Hoje é essa trama pelega. E a ditadura de 64, aquele verde-oliva que nos cercou como uma epidemia de vil patriotismo? Era terrível? Sim. Mas nos dava o "frisson" de lutar contra o autoritarismo ou de sermos "vítimas" das porradas da história.

Já passei pelas drogas e desbundes da contracultura, pelos depressivos anos cinzentos post-mortem de Tancredo, passei pelos rostos amarelos e verdes do "impeachment", pelo azul da esperança do Plano Real. E hoje? Qual é a cor de nosso tempo?

 Somos uma pasta cor de burro quando foge, uma cobra mordendo o próprio rabo, um beco sem saída disfarçado de progresso, graças à vitalidade da economia que o Plano Real permitiu.

Somos tecnicamente uma "democracia", que é vivida como porta aberta para oportunismos, pois a "cana" é menos dura... Democracia no Brasil é uma ditadura de picaretas. O povão prefere um autoritarismo populista e os intelectuais sonham com um socialismo imaginário que resolva nosso bode "capitalista", quando justamente o injusto capitalismo seria a única bomba capaz de arrebentar nosso estamento patrimonialista de pedra.

Quem quiser alguma positividade é "traidor". A miséria tem de ser mantida "in vitro" para justificar teorias velhas e absolver incompetência. A Academia cultiva a "desigualdade" como uma flor... Utopia de um lado e burrice do outro impedem a agenda de nossas reformas urgentes, essenciais para nossa modernização, que grossos barbudos chamam de "neoliberalismo".

Nos Estados Unidos, tempo é dinheiro; no Brasil, a lentidão é a mola mestra do atraso. O Brasil gira em volta de si mesmo.

Somos feitos de sobras do ferro-velho mental do país, de oligarquias felizes e impunes, de um Judiciário caquético, das caras deformadas de políticos, das barrigas, das gravatas escrotas, da gomalina dos cabelos, das notas frias, da boçalidade dos discursos, dos superfaturamentos, tudo compondo uma torta escultura, um estafermo fabricado com detritos de vergonhas passadas, togas de desembargadores, bicheiros, cérebros encolhidos, olhos baços, depressões burguesas, hipersexualidade rasteira, doenças tropicais voltando, dengue, barriga d´água, barbeiros e chagas, cheiros de pântano, ovos gorados, irresponsabilidades fiscais, assassinos protegidos no Congresso, furtos em prefeituras, municípios apodrecidos, decapitações, pneus queimados, ônibus em fogo.

No caos não há eventos. Para haver acontecimentos, tem de haver uma normalidade a ser rompida. Mas, nada acontece, pois a anormalidade ficou "normal".

Tenho a sensação de que uma coisa espantosamente óbvia e sinistra está em gestação.
Por isso, gosto de citar a frase da bruxa do "Macbeth": "Something wicked this way comes" (Shakespeare). Tradução: "Vem merda por aí!..."
Nossa chance única de modernização pode virar um "chavismo cordial".

compare


Para visualizar melhor 
click na imagem

compare



Para visualizar melhor 
click na imagem

carta de um pai e de uma mãe

















Abaixo , declaração
dos pais do soldado Mario Kosel Filho, assassinado em São Paulo, em 1968.
 Desabafo de um pai
 

Mário Kosel  Filho nasceu em 6 de julho de 1949, em São Paulo. Era filho de Mário Kosel e Therezinha Vera Kosel. 
Fazia parte do Grupo Juventude, Amor, Fraternidade, organizado pelo Padre Silveira,
da Paróquia Nossa Senhora da Aparecida, no bairro de Indianópolis, juntamente com mais de 30 jovens. O símbolo do grupo, ironicamente idealizado por Mário, era uma rosa e um violão.Por ser muito prestativo e preocupado em ajudar as pessoas, principalmente crianças e necessitados, foi apelidado de Kuka, pelos demais participantes do grupo.
Mário estava com 19 anos e prestava o serviço militar. Estava incorporado na 5ª Cia. de Fuzileiros do 2º Batalhão, no 4º Regimento de Infantaria Raposo Tavares, e Quitaúna.
Na madrugada de 26 de junho de 1968 estava no quartel, em serviço, quando ouviu um tiro, disparado pelo soldado Rufino, que fazia a guarda externa do quartel. 

Saiu para ver o que se passava e foi informado pelo soldado Rufino que o tiro foi para cima, para advertir um automóvel que, em alta velocidade, rompeu a barreira da área proibida ao tráfego de veículos. O motorista do automóvel deve ter se assustado e colidiu com um poste. Mário, preocupado em ajudar possíveis feridos, foi até o mesmo. Ao se aproximardo automóvel acidentado, um outro automóvel passa pelo local e seus ocupantes lançam sobre o automóvel acidentado uma bomba de grande poder destrutivo.
Mário teve morte instantânea, pedaços de seu corpo foram lançados em todas as direções. 
Um dos ocupantes do segundo automóvel era Dilma Rousseff. Não consigo entender como é possível uma assassina permanecer solta e ainda chega aonde essa mulher chegou. 
Dilma e outros criminosos e assassinos, que deveriam estar nas penitenciárias, relaxam e gozam sem quaisquer preocupações, enquanto os ladrões de galinhas sofrem severas
penalidades.
Agora, a exemplo do que fizeram com Lula, os marqueteiros vão tentar vender a imagem de paz e amor dessa assassina.
Ainda assim, enquanto eu viver, não me calarei, até que todos saibam.

 Mário Kosel e
 Therezinha Vera Kosel
                                                   

Dilma morreu e foi para o céu
Crônica de João Mellão Neto
 
Caiu um forte raio em Brasília. Desses que o governo afirma que são capazes de causar um blecaute. Ele caiu justamente no Palácio do Planalto. Para espanto de alguns e alívio de outros, o raio deu de cair exatamente na cabeça da ministra Dilma Rousseff, que foi literalmente torrada. Sem nada o que fazer, ela se dirigiu ao Além. Ela tinha certeza de que iria para o Inferno. Mas, como o capeta não veio buscá-la, resolveu tentar a sorte no Céu. Já no portal, encontrou São Pedro com uma meia dúzia de assessores.
 
"Antes de entrar aqui, a senhora precisa passar por um julgamento", disse-lhe o guardião do Paraíso.

"Eu quero um advogado!"
"Não temos. Os advogados do tipo que a senhora precisa foram todos para o outro lado. A senhora vai ter de se defender sozinha."
"Está bem. Eu sei me virar!"
"Comecemos pela sua juventude. É verdade que a senhora foi guerrilheira? "
"Fui! Do Colina e da VAR-Palmares! E era líder! Pode perguntar lá embaixo que tem um montão de gente que confirma!"
"Eu não entendo. A senhora tem orgulho de ter sido terrorista?"
"No Brasil isso pega bem. Tem até um órgão do governo que paga indenizações."
"Consta aqui na sua ficha que a senhora se dedicava a tarefas que não têm nada que ver com uma guerra revolucionária. Roubar cofres, por exemplo."
"É, vai fazer o quê...? Nós expropriamos um que tinha nada menos que US$ 2 milhões!"
"E o que vocês fizeram com o dinheiro?"
"Uma parte nós repartimos com os companheiros dos outros grupos."
"E o resto?"
"Não tinha resto. Era para as nossas despesas. Era eu mesma que cuidava do dinheiro."
"Bom, vamos passar adiante. A senhora ficou alguns anos presa, depois tratou de estudar."
 
"Eu me graduei, depois fiz o mestrado e o doutorado. Pode ler na minha página na internet."
"Tem gente que diz que a senhora não fez nem uma coisa nem outra..."
"Eu vou lhe dar a mesma resposta que dei para a imprensa: fiz o curso de mestrado, mas não o concluí. Depois eu voltei para a escola, a Unicamp, para fazer o doutorado. Também não me formei porque virei ministra..."
"A Unicamp informou que a senhora nunca se matriculou lá..."
"Isso é mentira!"
"Hum, trata-se de uma carreira bem peculiar... Aqui, na sua ficha, consta também que em 1989 a senhora foi nomeada diretora-geral da Câmara Municipal de Porto Alegre e foi demitida pelo presidente da Casa porque chegava tarde ao trabalho."
"Isso é mentira!"
"A senhora é conhecida como a mãe do PAC. E há quem diga que é, também, madrinha do apagão."
"Isso é mentira! Só porque eu fui ministra da área energética por alguns anos, eu sou agora responsabilizada por tudo!"
"Dizem que foi a senhora que formulou o atual modelo de energia."
"Isso é mentira! Quando eu assumi, todas as usinas hidrelétricas já estavam lá!"
"A que a senhora - que entende do assunto - atribui o apagão?"
"Vou-lhe dar a versão oficial do governo: eram três linhões. Acontece que caíram três raios ao mesmo tempo, um em cada um. Os três entraram em curto-circuito e deu no que deu."
"É uma visão, no mínimo, curiosa... No governo passado houve racionamento de energia porque as chuvas não vieram e os reservatórios de água das usinas hidrelétricas ficaram vazios. Vocês eram da oposição na época e exploraram eleitoralmente o fato. E agora?"
"O apagão do FHC se deu por incompetência. Já o nosso foi devido ao clima, conforme eu já expliquei... "
"Já sei, três raios caíram simultaneamente nas três linhas... E vai por aí afora. Há quem diga que houve sobrecarga do sistema e ele caiu...."
"Isso é mentira! Os raios caíram nos linhões e o assunto está encerrado.. Não se fala mais nisso."
"Escute, para a senhora, tudo é mentira."
"Isso também é mentira!"
"Vamos mudar de assunto. A ex-secretária da Receita Federal depôs no Congresso afirmando, com todas as letras, que esteve em seu gabinete, no Palácio do Planalto, e que a senhora lhe pediu para aliviar a barra num processo.."
"Isso é mentira! Nunca estive com essa mulher!"
"Ela disse, recentemente, que tem como provar o que falou... Além do mais, o prédio é inteiramente monitorado. Basta procurar a gravação que a questão fica resolvida."
"Vamos encontrar uma versão conciliatória. Eu admito que a recebi no meu gabinete, mas foi para tratar de outros assuntos."
"Quais?"
"Não me lembro mais. Como canta o Roberto Carlos, "são tantas emoções..."
"Bom, dona Dilma, sinto muito, mas a senhora não preenche os requisitos mínimos para entrar no Céu. Eu não entendi porque Satanás não se dispôs a recebê-la. Aguarde um momento que eu vou telefonar para ele."
 
São Pedro saiu da sala, pegou o seu celular e ligou diretamente para o "coisa ruim".

"Oi, Lúcifer, porque é que você não foi receber a Dilma Rousseff?"
"Eu não quero nem saber dessa mulher!", explicou o príncipe das trevas. Se ela vier para cá, em dois minutos vai estar mandando em todo mundo. Essa mulher tem cabelo na venta, é nervosa, irritadiça e impaciente. Estou fora!"
"E o que é que eu faço com ela?!", desesperou-se São Pedro.
"Eu sei que foge dos regulamentos, não deixe o Chefão saber disso, mas o que se pode fazer é pedir desculpas e devolvê-la para o Ministério do Lula. Os dois se entendem bem porque, no fundo, se merecem..."

*João Mellão Neto, jornalista.



BENDITOS SEJAM 

Benditas sejam as dificuldades que nos 
agridem e fazem pensar.
Benditas sejam as horas que gastamos em 
função do bem eterno.
Bendito seja quem nos maltrata à primeira vista e
nos ajuda a melhorar.
Bendito seja quem não nos conhece e não 
acredita em nós.
Bendito seja quem nos compara com 
vagabundos e indolentes.
Bendito seja quem nos expulsa, 
 como párias ou fanáticos.
Bendita seja a mão que nos nega 
o cumprimento.
Bendito seja quem quer nos esquecer,
impaciente.
Bendito seja quem nos nega o 
pão de cada dia.
Bendito seja quem nos ataca por 
ignorância e covardia.
Bendito seja quem nos experimenta no 
correr do tempo.
Bendito seja quem nos faz 
chorar nos caminhos.
Bendito seja quem não 
agrada no momento.
Bendito seja quem exige de 
nós a perfeição.
Benditos sejam os que nos maltratam
o coração porque, 
verdadeiramente, são estes, 
meus filhos, os nosso vigilantes e os que nos 
ajudam a seguir o Cristo 
com maior segurança,  
pois Deus, através deles, nos ajuda na 
educação, de maneira que fiquem 
abertas todas as portas para
o Amor Universal. 
(São Francisco de Assis)

O VÍDEO DO ANO!!!!!!



Ache outros vídeos como este em Brava Gente Brasileira

Noticias de Giba Um...











enviadas pela minha amiga Alzira Miranda
By GIBA UM

Maré baixa
O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra,
está separado de sua mulher Tereza, não consegue 
esconder que atravessa período depressivo e agora,
de quebra, foi internado num hospital 
com febre alta e garganta inflamada. 
É a virose que anda assolando o país.
 New Dilma
A ministra-candidata já exibe alguns primeiros
resultados da assessoria de imagem contratada
pelo marqueteiro João Santana:  
nesses dias, usava uma folgada blusa preta com pois brancos, 
com jabot à frente, calças compridas igualmente pretas
e sandálias de salto mais alto do que o habitual.
No rosto, um estilo mais jovem de make-up, que suaviza seu rosto
Daqui para a frente será uma sucessão de novos modelitos
mais up to date.
E ainda: o padre Marcelo Rossi, da Renovação Carismática
e ligado ao movimento Canção Nova,foi à comemoração 
dos 135 anos do Jóquei Club de São Paulo, 
especialmente por causa de Dilma, que está sendo apoiada pelo 
candidato ao Senado pelo PSB de São Paulo, Gabriel Chalita.
Nas eleições à prefeitura paulista, o padre Marcelo Rossi 
apoiava Chalita e Geraldo Alckmin.
Agora, o mesmo Chalita está arquitetando a participação da
ministra numa missa dominical de Rossi, no grande templo 
do Socorro, bairro de São Paulo.
 Na bolsa
Para não ser apanhada de surpresa, Dilma Rousseff 
anda com a letra da música Erguei as mãos, hino nacional 
do padre Marcelo Rossi: se for mesmo à missa dominical 
do sacerdote, quer ter na ponta da língua.
Suplente 
O cientista político e dono de empresa de 
comunicação e de pesquisas, Antonio Lavareda, 
será o suplente na chapa ao Senado do presidente do PSDB, 
Sérgio Guerra, em Pernambuco. 
A disputa pelas vagas no Senado entre os eleitores
pernambucanos não será fácil para ninguém, nem mesmo para
o eterno favorito Marco Maciel. Lavareda, a propósito, virou
banqueiro desde o ano passado, quando entrou no 
capital de uma instituição financeira regional, lá em cima.
PTB rachado 
Dilma Rousseff quer integrar Gim Argello, líder do PTB no Senado,
no principal staff de sua campanha. 
Há dias, ele reuniu grande grupo de petebistas num 
jantar em homenagem à ministra-candidata enquanto o 
presidente nacional do partido, Roberto Jefferson, 
garante que apoiará o candidato tucano à Presidência da República.
O deputado estadual Campos Machado, que controla 
o partido em São Paulo, está com Jefferson. 
A propósito do jantar oferecido a Dilma: José Sarney e 
Fernando Collor também estavam lá e cumprimentaram-se, 
sorrindo e civilizadamente. Há 20 anos, viviam se xingando.
Antigos inimigos
 O poderoso Santander, que levou a ABN Amro Bank e o
Real e figura entre os cincos maiores do Brasil, 
tem um economista chamado Alexandre Schwartsman que,
malgrado seu pedido público de desculpas, por ter errado
suas análises econômicas, poderá ter vida curta no banco espanhol. 
Levanta-se, agora, a suspeita de que Schwartsman poderia
ter cometido um erro grosseiro (somou duas vezes o orçamento
paulista para provar que Serra gasta tanto quanto Lula) 
devido a desavenças pessoais com o governador paulista. 
Por outro lado, o economista-chefe do Bradesco, Octávio de Barros, 
é o novo queridinho do mercado.
Até embaixadora
 O marqueteiro João Santana, que cuida de Dilma, 
fez a campanha vitoriosa de Mauricio Funes, presidente
de El Salvador, casado com uma petista brasileira,
abriu uma agência de publicidade lá e já abiscoitou 
quase 80% dos contratos de publicidade do novo governo.
Tem livre transito e até indicou a ex-guerrilheira Rina Ângulo 
para ser embaixadora no Brasil. 
Há quem aposte que foi um pedido de Marco Aurélio Garcia, 
por conta de antigas ligações no Foro de São Paulo.
Melhor não
 O vice-presidente José Alencar ganhou, no Rio, o 
prêmio Faz Diferença e quando chegou ao Copacabana Palace, 
uma das diretoras do hotel, lembrando que ele passara lá, 
há 54 anos, sua lua-de-mel, fez questão de convidá-lo e sua mulher, 
Mariza, a pernoitarem numa suíte especialmente reservada, 
para relembrar a data. Aí, o vice, com seu eterno bom humor:
“Obrigado, minha filha, mas acho melhor não tentar 
repetir aquela noite”. E foram os dois para o apartamento que
possuem no Rio, em Ipanema, há anos.
Chega de Ciro
Em São Paulo, o acordo fechado é entre PT e PCdoB:
Mercadante para o governo, Marta para o Senado, 
ao lado de Netinho de Paula. 
Os petistas acabam de virar as costas para o PSB e 
especialmente para Ciro Gomes que começa a apontar 
seu estilingue para o PT, Dilma e o segundo mandato de Lula.
 Sempre FHC
 O presidente Lula padece de estranho mal, segundo até 
mesmo seus mais chegados: é uma continua vontade
de superar, em todas as áreas possíveis, seu antecessor,
o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. 
Depois de passar a faixa a seu sucessor, Lula vai percorrer
o planeta em busca de todos os títulos de doutor honoris causa 
que recebeu e ainda não foi buscar. 
Pelas suas contas, será um volume superior aos títulos
recebidos por FHC. E até mesmo essa nova pretensão de
se sentar na cadeira de secretário-geral da ONU 
(e ele acha que conseguirá) tem uma ligação com
Fernando Henrique que, no passado, durante algum tempo,
também alimentou esse sonho.
 Do lado errado
 Quando terminou sua palestra sobre Joaquim Nabuco, 
na Academia Brasileira de Letras, na semana passada 
(repleta de toques políticos), o presidente da Casa de
Machado de Assis, Marcus Villaça, pediu desculpas ao 
orador e ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, 
colocado pelo cerimonial à direita dele. 
Com um certo tom gaiato, sacou: 
“O senhor acabou ficando à extrema esquerda”. 
FHC e toda a platéia morreram de rir.

Atenção

















(Este com o Lula é o Ministro Vanucchi)

 
















OBSERVEM QUE O Logotipo do “Foro De S. Paulo”
é o mesmo da “Nova Constituição Comunista”
assinada em Copenhagen pelo Presidente que 
“por não saber”,“assinou sem ler”....
Vejam que eu já chamara a atenção para o

mapa todo em vermelho, sem fronteiras, numa alusão a 
antiga URSS,  que será a “União das Republicas Socialistas Latinas”,.
Querem algo mais comunista que isto?
E nossa “LIBERDADE” vai se esvaindo por entre os dedos deles......

Onde está Wally?


 Notícia enviada por Alzira Miranda
reportagem: Sofia Krause
Delúbio Soares dá palestra sobre ética em Goiás

Onde está Wally?
Quem é o personagem que paga 
para pregar ética na política a 
universitários no interior de Goiás 
Sofia Krause
 








PATRONO
O professor e a turma de formandos

em administração 
e gestão empresarial

A cena acima é um registro para a posteridade de um
momento ímpar na vida de 22 formandos da
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas de Goiatuba,
no interior de Goiás. Sorriso no rosto, diploma nas mãos 
orgulhosamente levantadas e..., no alto, alguém que,
aparentemente, não combina muito com o ambiente.   
O homem de terno e gravata é um professor, o patrono da 
turma, o escolhido para render homenagens aos alunos. 
Parece o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares -
aquele acusadode corrupção e formação de quadrilha? 
Parece. 
Mas, ouvindo suas palavras na solenidade de formatura, 
não é possível que seja.
"É muito importante a ética na política, na educação e
na cultura do povo",afirmou o professor, diante dos 
olhares atentos de mais de quatro centenas de convidados. 
E concluiu sua pregação: 
"É importante ter ética em tudo o que se faz na vida". 
O homem que está no epicentro do maior escândalo de 
corrupção da história do Brasil, que manuseou milhões de reais 
em dinheiro roubado dos cofres públicos, agora empenha 
seus fins de semana pregando ética a jovens.
Bonito, se estivesse cumprindo uma expiação. 
Mas nem isso é o que parece.
O ex-tesoureiro petista foi homenageado pela turma 
de futuros administradores por seu principal talento - 
a capacidade de arrumar dinheiro. 
Conta o presidente da comissão de formatura:
"A gente ficou sabendo que o Delúbio gostava de
participar desse tipo de festa, inclusive ajudando
financeiramente. 
Fomos até sua fazenda e fizemos o convite 
para ele ser o nosso padrinho. 
Ele topou na hora e, aí, a gente perguntou se ele
poderia dar uma ajudazinha nas despesas. 
Ele perguntou de quanto. Deixamos por conta dele". 
Dias depois do convite, em novembro, o ex-tesoureiro 
depositou 6 000 reais, o equivalente a 13% das despesas 
da festa, na conta da comissão.
"A gente sabe que a fama dele é horrível, 
mas fazer o quê,se ele pode bancar a festa?" 
,justifica Cezar Barros.
Tão impressionante quanto imaginar que um grupo 
de jovens universitários não se importe com a 
biografia de seus homenageados é perceber que a 
direção da faculdade também dá de ombros.
"Nós respondemos ao MEC e ao Conselho Estadual 
de Educação, órgãos do governo. 
Por isso não vejo problema algum", afirma 
Cleiton Camilo dos Santos, responsável pela instituição. 
Segundo ele, Delúbio é ligado ao governo do PT, logo não 
vai haver problema algum em tê-lo como patrocinador 
da formatura. 
"A escolha, afinal, foi dos alunos.
" Delúbio fez dois depósitos, cada um de 3 000 reais, 
nas contas de dois formandos. 
Embora more em Buriti Alegre, no interior de Goiás, 
trabalhe na capital, Goiânia, e tenha sido patrono de uma festa 
em Goiatuba, parte do dinheiro, vivo, saiu de uma agência 
bancária de São Paulo. 
Hummm!







Não tem mais jeito, 
depois disso só outro disso!
È revoltante! 
Esse é o País que nosso Presidente 
afirma que vai ser o País do futuro, grande, 
mas ainda deitado em berço esplendido
no quesito ética.
Estel@

Viva a Liberdade de Expressão!!!

 photo aaaaMEENORRR.gif

Sejam bem-vindos!

 photo butterfly-welcome.gif
 
Free Website templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesFree Soccer VideosFree Wordpress ThemesFree Web Templates