Ora Celso Amorim vá a......merda!!!!!

Ora Celso Amorim vá a….merda!!!!
 Adriana Vandoni em 18/04/ 2010
(Giulio Sanmartini) A concessão de comendas às mulheres de presidentes brasileiros pode causar problemas, dúvidas ou indignação. Conheço uma que causou problemas ao escritor e humorista Millôr Fernandes. Em 1959 ele tinha na extinta TV Tupi do Rio de Janeiro, um programa intitulado “Treze lições de um ignorante”, o qual foi suspenso por ordem do presidente Juscelino Kubitschek, que até hoje é dourado com a absurda fama de ter sido liberal e democrata, mas que não hesitou em usar a censura quando percebeu que sua mulher fora ironicamente criticada por Millôr, ao dizer: “Dona Sarah Kubitschek chegou ontem ao Brasil, depois de 5 meses de viagem à Europa, e foi condecorada com a Ordem do Mérito do Trabalho.”
Não sei se no intervalo outra primeira dama foi condecorada, mas a atual Marisa Letícia Lulla da Silva, acabou de ter a sua segunda. A primeira foi no dia 7 de dezembro de 2007 quando recebeu, em cerimônia realizada na Base Aérea de Natal (BANT), no Rio Grande do Norte, a Medalha do Mérito Santos-Dumont. Logo me assaltou uma dúvida: Por que a “primeira patroa” recebeu condecoração brasileira  criada para homenagear civis e militares, brasileiros ou estrangeiros, por destacados serviços prestados a Força Aérea Brasileira (FAB)? Qual serviço prestara à FAB  a homenageada? Conclui, como uma grande boa vontade, que fora pelo fato de ter acompanhado o marido em suas inúmeras viagens no Aero-Lulla, com uma tripulação da FAB, sem nunca dizer nada.
Mas agora parece que a coisa entrou no perigoso terreno da galhofa. Dona Marisa foi condecorada com a Ordem de Rio Branco (14/4). Essa ordem é destinada a galardoar os que, por qualquer motivo ou benemerência, se tenham tornado merecedores do reconhecimento do Governo Brasileiro, servindo para estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção, bem como para distinguir serviços meritórios e virtudes cívicas.
Pombas! A “primeira patroa”, com relação à diplomacia, teve somente uma passagem indigna: fez uso do Itamaraty para facilitar-lhe o recebimento  da dupla nacionalidade junto ao consulado italiano. Os descendentes de italianos até a 5ª geração tem esse direito, mas para qualquer mortal no Brasil, que também queira ser italiano, há uma espera de média de 6 anos, e Marisa Letícia a recebeu em dias. Masa parte feia da coisa é a mulher de um presidente que não acredita no país governado por seu marido e, como se não bastasse, ao ser perguntada por que como mulher do presidente pedira a dupla nacionalidade, sem o mínimo pejo, respondeu: “É, o amanhã nunca se sabe, não é mesmo?”
Pois é, a uma brasileira que não respeita seu pais  foi dada a comenda do Rio Branco, que tem como dístico a expressão em latim Ubique Patriae Memor(Em qualquer lugar, terei sempre a Pátria em minha lembrança).
Mas o  pior de tudo foi a explicação  que deu o chanceler Celso Amorim para esse puxa-saquismo explicito: “apoio à atuação do marido na política internacional justificam a homenagem” – afirmou ele..
Ora Celso Amorim, tenha a paciência e
“vá a merda”.

0 comentários:

Viva a Liberdade de Expressão!!!

 photo aaaaMEENORRR.gif

Sejam bem-vindos!

 photo butterfly-welcome.gif
 
Free Website templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesFree Soccer VideosFree Wordpress ThemesFree Web Templates